Odilon Redon - Buda
Buda, de Odilon Redon

“Agora o mundo é aqui. As nuvens atravessam o céu. Insectos zunem no ar.

O filme parou numa cena: Sidarta está sentado à sombra da figueira. Petrificado.

O rio flui diante dos olhos do mestre. Os pássaros revoam sobre a água. Suas asas fracionam o tempo em segundos.

Passam-se vinte e cinco séculos. Sem piscar os olhos, o príncipe está sentado à sombra da figueira, como desde sempre.

Pássaros revoam sobre a água. O rio flui. Nuvens atravessam o céu.”

– retirado de “Pássaro Raro” de Jostein Gaarder

Escrito por Rafael Trindade

"Artesão de mim, habito a superfície da pele" Atendimento Psicológico São Paulo - SP Contato: (11) 99113-3664

um comentário

Comente aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s