“O futuro permanece firme, meu caro Kappus, mas nós nos movemos no espaço infinito.”

Rainer-Maria-Rilke

 – por Mariana Matos

Em fevereiro de 1903, Rainer Maria Rilke recebeu uma carta de Franz Kappuz, um jovem que aspirava tornar-se poeta. A partir daí, inicia-se uma rica troca de correspondências entre os dois.

O livro “Cartas a um jovem poeta” traz dez cartas de Rilke ao jovem poeta, nas quais ele coloca sua opinião sobre diversos aspectos da vida e da arte. Trata-se de um livro curto, de preço acessível e de fácil leitura, mas com muito conteúdo. Porém, tentar explicar esse conteúdo é uma tarefa difícil, pois como diria Rilke: “as coisas em geral não são tão fáceis de apreender e dizer como normalmente nos querem levar a acreditar; a maioria dos acontecimentos é indizível.”

Porém, eu ainda acho que é preciso tentar achar as palavras para agradecer aos grandes autores que envolveram minha vida com suas palavras e a tornaram mais rica. Por isso, escrevo este meu agradecimento também na esperança de que minhas palavras possam de alguma forma inspirar mais e mais pessoas a serem tocadas pelas suas.

Sendo assim, eu agradeço a Rilke por estas belas cartas que eu leio como se tivessem sido escritas a mim pelo mais querido dos confidentes. Afinal, todas as vezes em que leio este livro tenho a inevitável sensação de que são das minhas vivências que ele fala, das minhas dores, meus erros, minhas dúvidas e minhas paixões.

Talvez ai esteja a riqueza das grandes obras: em sua capacidade de nos atravessar de novo e de novo, tocando aquilo que há de mais humano em cada um de nós, aquilo que nos faz únicos e, ao mesmo tempo, semelhantes.

Talvez o jovem seja o ser em constante transformação, reformulação, inacabado e o poeta a parte mais pura de nossa humanidade. Quem sabe Rilke esteja certo e a vida seja de fato difícil e solitária, mas, por isso, também mais bela.

“Talvez todos os dragões de nossa vida sejam princesas, que só esperam nos ver um dia belos e corajosos. Talvez todo terror não passe um última instância, do desamparo que requer nossa ajuda.”

Escrito por Rafael Trindade

"Artesão de mim, habito a superfície da pele" Atendimento Psicológico São Paulo - SP Contato: (11) 99113-3664

um comentário

Comente aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s