Nietzsche – Como Filosofar com o Martelo?

R$150,00

Curso Gravado

Aula 1  – Máximas e o problema Sócrates
Aula 2 – Razão e Moral como anti-natureza
Aula 3  – Crepúsculo da Verdade
Aula 4  – A Destruição Criativa

Carga Horária: 6 horas
Acesso por 90 dias prorrogáveis
Emitimos certificado simples

Quer um desconto? Torne-se um assinante comprando: Seja um Assinante! – Insensato ou Seja um Assinante! – Insubmisso!

Categorias: , Tag:

É a exceção entre os livros: nada existe de mais substancial, mais independente, mais demolidor” – Nietzsche, Ecce Homo

O curso “Como filosofar com o martelo” foi inspirado no subtítulo da obra “Crepúsculo dos Ídolos” (de 1888) e oferece os primeiros passos para adentrar na filosofia de Nietzsche. Dá também a melhor maneira de percorrê-la sem se perder; afinal, Nietzsche é um filosofo para poucos, seus pensamentos exigem coragem.

Por quê? Ora, porque grandes tarefas estão por vir! O niilismo bate na porta, a decadência do ser humano cresce dia após dia, os valores antigos já não servem mais para nada! Nietzsche insiste que a tolice tomou conta do mundo e que o pensamento precisa voltar a ser perigoso! Como fazer isso? Talvez a melhor maneira seja filosofando com um martelo!

O Crepúsculo dos Ídolos não é um livro, é uma declaração de guerra! Escrito em 1888, a obra possui um caráter leve, introdutório, mas ao mesmo tempo agressivo e desafiador. Os aforismos estão cuidadosamente organizados para servirem como um meio de atrair novos leitores que não estavam familiarizados com o pensamento nietzschiano.

Este curso é baseado nestas ideias! Como filosofar com um martelo na mão? Esta é a pergunta que queremos responder. Afinal, o martelo serve para derrubar ídolos, mas antes pode servir para medir a sua resistência aos golpes, o quanto são duros e valorosos. O martelo serve para diagnosticar a nossa cultura, verificar os seus sintomas, o que serve e o que deve ser jogado fora.

O que no título se chama ‘Ídolo’ é simplesmente o que até agora se denominou verdade. Crepúsculo dos Ídolos – leia-se: adeus à velha verdade…”

– Nietzsche, Ecce Homo

Não seria a verdade uma mentira? E a moral não é outro nome que damos para medo? Não seria nossa razão profundamente irracional? Todas estas perguntas farão parte do conteúdos das aulas. A inquietação é certa, mas as possibilidades que se abrem diante de tal análise são infinitas!

É bem possível que os Ídolos de nosso tempo estejam todos ocos por dentro. Sendo assim, Nietzsche elege o martelo como principal maneira de filosofar! O que queremos é encarar as exortações de Nietzsche para que o ser humano se torne mais duro para as tarefas que virão e seja capaz de tomar o seu destino nas mãos, superando a si próprio.

Dúvidas sobre o funcionamento do curso? Veja as perguntas frequentes!