TAZ

Zona Autônoma Temporária

TAZ Zona Autônoma Temporária

Escolhemos as imagens de Afro Basaldella para ilustrar esta série

O livro

TAZ é um livro escrito por Hakim Bey, o conceito significa Zona Autônoma Temporária. Entretanto, apesar da ideia possuir um tom libertário e anarquista, o nome, em si, não elucida muito bem o que seria uma TAZ, e tampouco o livro, porque evita trazer determinações fechadas e definitivas. Sem dúvida, estes motivos já justificariam esta série, mas nossa intenção é ainda maior.

O Conceito

A ideia de Zona Autônoma Temporária é essencial para o tripé teórico de nosso site, porque fala de modo surpreendentemente claro sobre o que acreditamos ser uma micropolítica efetiva. Principalmente por relacionar-se facilmente com diversos outros conceitos expostos aqui.

Em princípio, nós trouxemos a Desobediência Civil como um primeiro passo, a simples sensação de que alguma coisa está errada, e a sincera vontade de dar um passo para trás. Como resultado, podemos dizer que as Zonas Autônomas Temporárias concluem o percurso de compreensão da Servidão Voluntária para a possibilidade de uma liberdade acima de tudo real e efetiva.

Assim sendo, separamos o texto em três partes:

  1. Zona: Um espaço, um lugar, um platô. Primeiramente nasce um lugar, uma superfície;
  2. Autônoma: Uma postura, um modo de se relacionar. Em segundo lugar, um movimento que não se deixa capturar
  3. Temporária: Um fato, uma maneira de se inserir no tempo. É o último momento, onde a zona se desfaz, mas não a autonomia.

No final, a TAZ é quase auto explicativa. Se o termo entrasse em uso seria compreendido sem dificuldades… compreendido em ação”

– Hakim Bey, Zona Autônoma Temporária

Por que Zona?

Por que Autônoma?

Por que Temporária?