Em meio a protestos durante a ocupação da Sorbonne em maio de 68, os estudantes franceses também realizaram uma manifestação cultural. Isto aconteceu com as pichações dos muros da Universidade com frases marcantes, criativas e provocadoras. Algumas são de autores famosos, a maioria são criações espontâneas dos estudantes. Não havia uma ordem estabelecida, nem regras, cada estudante pichava onde queria e o que lhe viesse à cabeça. Este tipo de manifestação faz parte do que entendemos por uma ética-estética: a escolha por uma existência que se confunde com a arte, um modo de vida que se cria e se expande. O desejo é excesso que quer transbordar, criar coisas. Entendemos que todo desejo é revolucionário porque é capaz de gerar realidades novas. Todo desejo constrói. Ver a vida como uma obra de arte a ser constantemente produzida, trabalhada, cuidada, recriada. Para nós, estas frases expressam o inefável, a ânsia pelo que ainda não tem nome mas que vem à tona e é traduzido em palavras. Aqui, o excesso de desejo transbordou também para os muros da universidade.

  • Liberdade

Soyez réalistes demandez l'impossible
“Sejam realistas, exijam o impossível!”

“Não quero perder a minha vida à ganhá-la”

"Sob as calçadas, a praia"
“Sob as calçadas, a praia”

“A imaginação ao poder”

"É proibido proibir"
“É proibido proibir”

“As paredes têm ouvidos, seus ouvidos têm paredes”

“Se queres ser feliz, prende o teu proprietário”

“O patrão precisa de ti, tu não precisas dele”

 

  • Poder

"Nem deus, nem mestre"
“Nem deus, nem mestre”

“Todo poder abusa. O poder absoluto abusa absolutamente”

“É preciso matar o polícia que existe dentro de cada um de nós”

“Todo poder aos conselhos operários (um enraivecido)
Todo poder aos conselhos enraivecidos (um operário)”

“Abaixo o realismo socialista. Viva o surrealismo”

“O poder tinha as universidades, os estudantes tomaram-nas. O poder tinha as fábricas, os trabalhadores tomaram-nas. O poder tinha os meios de comunicação, os jornalistas tomaram-na. O poder tem o poder, tomem-no!”

 

  • Política

“Nós somos todos judeus alemães”

"A política passa-se nas ruas, e não nas urnas"
“A política passa-se nas ruas, e não nas urnas”

“Viva o poder dos conselhos operários estendido a todos os aspectos da vida”

“Trabalhador: tu tens 25 anos, mas o teu sindicato é do outro século”

“Todo reformismo se caracteriza pela utopia da sua estratégia, e pelo oportunismo da sua tática”

“Quando a Assembléia Nacional se transforma em um teatro burguês, todos os teatros da burguesia devem se transformar em Assembléias Nacionais”

“Juventude Marxista Pessimista”

“Se as eleições pudessem mudar o que quer que fosse, há muito teriam sido proibidas”

 

  • Revolução

“Revolução, eu te amo”

“O direito de viver não se mendiga, toma-se”

“A revolução deve ser feitas nos homens, antes de ser feita nas coisas”

"Aquele que fala de revolução sem querer mudar a vida cotidiana, este tem um cadáver na boca"
“Aquele que fala de revolução sem querer mudar a vida cotidiana, este tem um cadáver na boca”

“Um só fim de semana não-revolucionário é infinitamente mais sangrento que um mês de revolução permanente”

“A revolução não é a dos comitês, mas, antes de tudo, a vossa.
Levemos a revolução a sério, não nos levemos a sério”

“Quanto mais amor faço, mais vontade tenho de fazer a revolução.
Quanto mais revolução faço, maior vontade tenho de fazer amor”

“O movimento popular não tem templo”

"Como pensar livremente à sombra de uma igreja?"
“Como pensar livremente à sombra de uma igreja?”
  • Universidade

"Professores, vocês são tão velhos quanto a vossa cultura"
“Professores, vocês são velhos, a vossa cultura também”


“Abaixo a Universidade”

"E se queimássemos a Sorbonne?"
“E se queimássemos a Sorbonne?”

“Professores, sois tão velhos quanto a vossa cultura, o vosso modernismo nada mais é que a modernização da polícia, a cultura está em migalhas”

"Professores, vocês nos fazem envelhecer"
“Professores, vocês nos fazem envelhecer”

 

  • Solidariedade

“A sociedade nova deve ser fundada sobre a ausência de qualquer egoísmo e qualquer egolatria. O nosso caminho será uma longa marcha de fraternidade”

“Tu, camarada, tu, que eu desconhecia por detrás das turbulências, tu, amordaçado, amedrontado, asfixiado, vem, fala conosco”

 

  • Outros temas:

"A cultura é a perversão da vida"
“A cultura é a perversão da vida”

“As paredes têm ouvidos, seus ouvidos tem paredes”

“Abaixo a sociedade espetacular mercantil”

"A cultura é a religião do Estado"
“A cultura é a religião do Estado”

“Os limites impostos ao prazer excitam o prazer de viver sem limites”

“O sonho é realidade”

“Desejar a realidade está bem; realizar desejos é melhor”

“Acabareis todos por morrer de conforto”

“A poesia está na rua”

"As paredes tinham ouvidos, agora elas têm a palavra"
“As paredes tinham ouvidos, agora elas têm a palavra”

“O sagrado, eis o inimigo”

“Abaixo os jornalistas e todos os que os querem manipular”

“Abaixo o Estado”

"As paredes estão lá para nos escutarem"
“As paredes estão lá para nos escutarem”

“Viva o efêmero”

“Viva a comunicação, abaixo a telecomunicação”

Escrito por Rafael Trindade

"Artesão de mim, habito a superfície da pele" Atendimento Psicológico São Paulo - SP Contato: (11) 99113-3664

5 comentários

  1. Enquanto nas ditaduras comunistas a juventude morria nas prisões e nos trabalhos forçados, os vagabundo degenerados do Ocidente podre queriam comunismo!

    Curtir

Comente aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s